quinta-feira, 31 de outubro de 2013

AS SETAS E OS CAMINHOS

AS SETAS E OS CAMINHOS

Nada é novo. São formas. Espaços. Lugares. Tempos.

Puxando os fios chega-se a algum lugar.

Mesmo que as setas digam o contrário;

e que as janelas se confundam com portas;

Que as portas pareçam muros sólidos ou suspensos no ar.

É só não desanimar...

Riscos e rabiscos servem para tudo.

 Inclusive para meditar.

Ou para percorrer trilhas do mapa da mina.

Recordar o futuro que ainda não ocorreu:  -

É só ligar a central da ‘intuição’.

Entrar em alfa e viajar nas ondas da imaginação.

O futuro, o presente, o passado, tudo está ali,

Num só contexto,

Ao alcance do olhar...

Visitar  o futuro, lá muito além!

A luz em profusão, tempo sem fim,

No espaço infinito curvando para além do dia da Criação.

Nada é novo. Tudo é eterno.

Esse tempo sem fim que nos envolve e assusta, não passa...

Nós é que passamos.

Sentir Deus e o Universo faz parte do viver.

Quanta saudade desse tempo, dirá o poeta a sonhar...

E  a meditar sobre o tempo  por acontecer.

Recordar agora é seu viver.

Vejo no espelho do mundo mais que perfeito,

o futuro que nos aguarda.

Ele já nos pertence, de direito.

Oh! Quanta saudade da fonte da vida sem fim.

Aguado esse futuro de volta para mim.

Portas. Janelas. Muros. Caminhos a seguir.

Não importa se as setas não combinam com nossos anseios.

 

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

HALLOWEEN – DIA DAS BRUXAS VEM AÍ!

- As bruxas estão soltas! – é uma expressão corriqueira quando começam a acontecer coisas fora do controle.
- Bruxas existem? – sim ou não? – O que sei é que o tema e a data já se tornaram objeto de diversão, turismo e exploração do fantástico e dos inusitados fenômenos, sejam eles de ordem natural, ou os chamados acontecimentos sobrenaturais, não só nos Estados Unidos.
O dia que antecede o Dia de Ação de Graças (31-10) é marcado por brincadeiras onde principalmente as crianças usam fantasias divertidas e ‘assustadoras’ e saem pelas ruas batendo de porta em porta pedindo doces. É uma tradição de origem Celta.
O povo Celta, famoso por sua arte, tinha em seu calendário, um dia, o dia 31 de Outubro, chamado de Samhain; eles acreditavam que nessa noite o Diabo passava pela Terra e só seria aplacado com ofertas de alimentos feitos pelos vivos. Esse dia foi incorporado ao calendário da igreja cristã com o nome de ‘Dia de Ação de Graças’. As tradições populares foram mantidas e ganhou muitos adeptos. É o dia do Halloween.
Bruxa, feiticeira, maga = mulher que faz ou pratica magia negra. Quando ocorre um fato tido como inexplicável, logo é atribuído à ação e artes de bruxaria ou a espíritos sobrenaturais.
Os povos do mundo inteiro têm em suas tradições um acervo de contos, lendas, narrativas baseados em mitos de um tempo em que os deuses por aqui andavam, guerreavam, distribuíam benesses, puniam... Uns eram verdadeiros heróis, outros meros personagens que se confundiam com seres fantasmagóricos.  Duendes, gnomos, harpias, demônios, que agiam e reagiam conforme as circunstancias; uns eram bons, outros temidos por sua maldade; havia os brincalhões, etc.; todos eles seriam manipulados por bruxos em suas feitiçarias. Um ‘bruxo’ famoso é o mago Merlin. Dizem que era feiticeiro filho de um demônio e teria atuado como conselheiro do Rei Artur. Acredita-se que tenha sido um bardo (poeta heróico) e vidente celta, chamado de Myrddin que viveu ao norte de Gales no século V ou VI a.C.
Quem não ouviu ou tem um relato a contar sobre ‘bruxarias’ e afins? Sentir presenças é mais comum do que se imagina. As influencias de um mau olhado, curadas com benzimentos e orações, idem. Posturas para barrar más vibrações emitidas por outras pessoas querendo nos influenciar são ensinadas por esoteristas. Amuletos são comercializados e usados muitas vezes como simples adereço. As crendices populares se misturam e se perpetuam adaptando-se aos usos e costumes dos diferentes povos.

Bruxas! Não precisa acreditar. Pelo sim, pelo não, comemore a data com boas ações e dando graças por mais este dia.

 Para você, em especial, trecho da Antiga Benção Celta:
- “Que o caminho venha ao teu encontro. / Que o vento sempre sopre às tuas costas / e a chuva caia suave sobre teus campos./ E, até que voltemos a nos encontrar, / que Deus te sustente suavemente na palma de sua mão.”
...........................................

“Que Deus te conceda muitos anos de vida;/com certeza Ele sabe que a terra não tem anjos suficientes…/... e assim seja a cada ano, para sempre!

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

FELICIDADE POR DECRETO – DE ACORDO COM A ÓTICA DE GOVERNANTES.

O noticiário às vezes nos surpreende com algumas medidas adotadas por governantes e declarações dignas de nota. Não porque sejam modelos a serem imitados. É que elas chegam a ser cômicas, como a criação de um vice-ministério – o da Felicidade – na Venezuela! Esse vice-ministério terá por função concentrar todos os programas sociais – as ‘misiones’ – que tem por objetivo administrar a distribuição dos benefícios que são distribuídos à população pelo governo. Lá o trabalho produtivo não tem prioridade, mesmo com falta de produtos. Equivale às bolsas família que são distribuídas aqui, onde milhões de cidadãos recebem sem ter que dar nada em troca, a não ser, continuar votando no governo.
Os milhões de cidadãos que são beneficiados por esses programas, no meu ponto de vista, deveriam prestar serviços à comunidade, cumprindo turnos de trabalho, como por exemplo, conservação e manutenção de prédios escolares, limpeza pública, saneamento básico, etc., além de se profissionalizarem para, rapidamente, deixar de ser dependentes do Estado, e por tabela, da sociedade que é quem paga impostos.

Por coincidência, acabo de ver notícia (Folha -28-10-2013) que diz: “Brasil agora cobra ‘calotes’ da Venezuela” – O calote se refere ao não pagamento de produtos vendidos no mercado venezuelano que vive um  momento de desabastecimento, especialmente de alimentos. Só de carne a divida é de 1 bilhão de dólares. 
Que eu saiba a Venezuela tem terras produtivas de boa qualidade. Para eles também vale ‘em se plantando dá’... Até lembrei o refrão de uma música do Chico Buarque que diz: - ‘Vai trabalhar, vagabundo... ’ – Não lembro a quem é que ele estava querendo mandar trabalhar, mas está valendo para quem achar que tudo deve cair do céu. Em especial aos ‘revolucionários’ mercenários que continuam à solta promovendo quebra-quebra em nome do passe livre. Pedir é uma coisa. Nem tudo que se pede pode ser concedido. Não tem almoço grátis!

Enquanto isso,  não sem tempo, a senhora Presidenta Dilma houve por bem declarar que considera antidemocrática a atitude de violência dos manifestantes (Black bloc). Ela que vinha até dialogando e recebendo lideres dos manifestantes, finalmente fez o certo. Por outro lado, o ex-presidente Lula, em sua fala divulgada pelo jornal El País nesta semana, vai na contramão quando diz que as manifestações dos jovens são ‘saudáveis’(sic).


A Felicidade de uns faz a infelicidade de outros, dizem. Só queria entender, o motivo de governantes se importarem tanto em promover a felicidade do povo de acordo com sua medíocre visão do mundo. 

sábado, 26 de outubro de 2013

EXAME DO ENEM – O RECORDE DE PARTICIPANTES E A QUALIDADE DO ENSINO.

Hoje tem início o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). A imprensa noticia que são exatamente 7.173.574 candidatos habilitados a tentar passar pela porta de acesso a uma das as Universidades federais e algumas estaduais e privadas, além de instituições técnicas. Os custos de tal ‘operação de guerra’ serão de $49,86 reais por candidato.

Os recordes não param por aí. Como é um exame que prioriza as cotas, o número de negros, pardos, indígenas chegou a 56% no ENEM deste ano, superando a porcentagem registrada na população brasileira no Censo que é de 51%.
Como o critério final vai priorizar as cotas, certamente muitos alunos com boa avaliação poderão ficar de fora, considerando que todas as 59 universidades federais vão adotar como processo seletivo ou parte dele o uso das cotas (auto declaração).

Outra regalia oferecida é a de que o exame pode garantir certificação do ensino médio para pessoas com mais de 18 anos e que não concluíram essa etapa escolar. Se por um lado é um benefício ao candidato em questão, por outro está longe desse tipo de avaliação representar saber e qualidade dos conhecimentos. Além do mais, há o critério de combinação de número de erros e de acertos, o que determina o resultado.

Uma vez aprovados, quantos realmente terão condições de acompanhar um curso universitário? Quantos realmente têm base para acompanhar um curso de nível superior?
Professores experientes apontam como saída, um curso de adaptação para esses alunos cujo nível de conhecimentos necessários para acompanhar o curso escolhido, na maior parte das vezes é sofrível. O professor universitário se quiser levar adiante uma aula com conhecimentos que demandam uma boa base de conhecimentos por parte dos alunos, vai encontrar muitas dificuldades.

As greves de Professores, a falta de um ensino básico de qualidade, a obrigatoriedade de um diploma e toda a burocracia que vigora no país, demonstra quão longe estamos de ser um país realmente desenvolvido. Leis e decretos não resolvem assuntos que dependem de cada individuo em particular quando se trata de aprendizado. Mais uma vez predomina o nivelamento por baixo e para baixo, só para exibir números.
Mas, desejo muito boa sorte aos alunos que hoje estão se esforçando por um lugar ao Sol – na Universidade. Especialmente aos que estudam por gosto, pelo prazer de aprender. 

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

BIOGRAFIAS – IMPORTÂNCIA PARA PRESERVAR A MEMÓRIA.

Tornou-se um hábito conhecer os dados biográficos dos autores de textos que faziam parte do livro de leitura em tempos de escola. Nome, filiação, data de nascimento, localidade onde nasceu e ou passou a vida, obras e suas características, escola literária, influencias que recebeu, informações gerais sobre seu tempo histórico, sua importância no contexto cultural, etc. O mesmo em relação a cientistas, políticos, e personalidades tornadas conhecidas a nível nacional e internacional por algum feito.

Uma biografia é o relato histórico de uma personalidade que vai muito além de narrativas de sua vida particular. Ela engloba um conjunto de conhecimentos relacionados num contexto local, nacional e temporal. Corresponde a um retrato social, econômico, político, cultural a partir da obra realizada pelo biografado. Todo biógrafo deve ser fiel aos acontecimentos dentro desse amplo contexto e, ao apresentar suas conclusões, a bem da verdade, deve se ater aos fatos.

Qual a  causa de alguns artistas terem se manifestado contra o trabalho de pesquisadores em realizar biografias chamadas de não autorizadas?
É sabida a teatralidade no comportamento de muitas pessoas, não só dos artistas, que muitas vezes costumam inventar histórias para se projetar. É mais comum do que se pensa. Por outro lado, imaginação, as fantasias, ou receios e  incertezas, muitas vezes levam as pessoas a comportamentos que mais tarde gostariam de esquecer. Essa atitude nos dá o direito de supor que os que não querem ser biografados sem seu consentimento – censura prévia - certamente tem alguma lembrança que hoje os constrange. Já no caso de familiares se oporem a que sejam divulgados fatos da vida de algum parente em geral trata-se de interesses financeiros.

Liberar ou não a publicação de biografias de pessoas públicas, no caso em debate – artistas? - ‘Saiu na chuva é para se molhar’. A festa de arromba deve ser esquecida? - Um biógrafo pesquisa em bibliotecas, arquivos, museus, junto a familiares ou à própria pessoa biografada, em revistas, jornais, vídeos, entrevistas, fotos, filmes, etc., seleciona informações, ordena os fatos, redige... Ele não inventa. Se aumentar ou distorcer, naturalmente deve arcar com as consequencias. Há trabalhos biográficos que são dignos de aplausos. Eles enriquecem a cultura de um povo ao preservar a memória de seus melhores representantes, aqueles que realmente fizeram a diferença.


O mundo poderá tornar-se melhor pelos exemplos de garra, trabalho, determinação, respeito aos valores, etc., vivenciados pela pessoa biografada. As novas gerações estão carentes de referencias.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

‘NOITES GOYANAS’- HOMENAGEM A GOIANIA – ANIVERSARIANTE DO DIA. 80 ANOS! – PARABÉNS

Goiânia. A jovem aniversariante do dia completa 80 anos. Jovem. Muito jovem... Há muito a comemorar. Ela foi uma de porta de entrada para que o progresso chegasse ao sertão.
Ouvira muitas vezes referencias a Goiás, como sertão para onde iam as boiadas que passavam pela minha cidade do  interior paulista - Piraju. Tudo era tão distante. Imaginava um sertão enluarado, muitas belezas naturais, vida tranquila e sonhadora ao som de violas e cantares de um povo trabalhador.
Um dia vim ver de perto. Tenho a dizer que vim, vi, gostei e fiquei... Entre idas e vindas lá se foram mais de trinta anos. Conheci de passagem em 1979 a então pequena cidade com ares de interior, mas já prometendo a pujança a que chegou. Conheci um pouco de sua história, do seu povo, dos usos e costumes, seus artistas, cantores, escritores, poetas...  :
-“Luares” – Luares brancos, albentes, / Luares alvinitentes. / De indesvendáveis arcanos! / Vossa pureza arrebata, /Luares brancas de prata / de plenilúnios goyanos.
Nesta data, nada melhor que falar das noites goianas na palavra do  poeta Joaquim Bonifácio (1883 – 1923)  considerado o primeiro “Príncipe dos poetas goianos”–  autor de ‘NOITE GOYANAS’ que foi musicada por Joaquim Santana e se tornou uma espécie de hino de Goiás:

NOITES GOYANAS
Tão meigas, tão claras, tão belas, tão puras
Por certo não há!
São noites de trovas, de beijos, de juras.
As noites de cá...

A Lua derrama no céu azulineo
Seu manto de prata
É Deus, das estrelas abrindo o escrínio,
No céu as desata...

Em Nice, em Lisboa, na Itália famosa
Tais noites não há...
São noites somente da Pátria formosa
Do índio Goiá...

As noites goianas são claras, são lindas,
Não temem rivais!
Goyanos! Traduzem doçuras infindas
As noites que amais! ...

Goyanos as sonham, da Pátria saudosos,
Nas terras de lá...
São noites de risos, de afetos, de gosos,
As noites de cá... (“Alguns Versos” – 1913 – Reedição comemorativa – Kelps- Goiânia – GO -2003)


Parabéns Goiânia, e todo o povo acolhedor, não só de sua bela capital com destes belos recantos cujos horizontes agrestes se misturam com os modernos espigões da modernidade. Parabéns à Goiânia das praças, dos parques floridos, das feiras, da cultura e do conhecimento, da arte e da qualidade de vida que oferece. 

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

UM GIRO PELAS NOTÍCIAS – MANIFESTAÇÕES, O LEILÃO DO PRÉ-SAL E A AMEAÇA DO OBSCURANTISMO


Diariamente costumo dar um giro pelas notícias. Nem sempre escrevo de imediato sobre os temas. Prefiro acompanhar o desenrolar dos fatos para ver de onde sopra o ‘vento’...
Os assuntos são variados. Para hoje selecionei três: as manifestações (im)populares; o leilão do petróleo do pré-sal do campo de Libra; e a invasão do Instituto Royal em São Roque.

As manifestações iniciadas em Junho somam 96, segundo informações; elas se caracterizam pela presença de grupos que promovem confrontos com a polícia e destruição de toda sorte. Já há comentaristas dizendo que esse comportamento tornou-se uma característica dos movimentos no Brasil (sic). O que deveria ser uma manifestação popular pacifica foi bruscamente seqüestrada por mascarados. Ou seja, adeus às verdadeiras manifestações populares... Os que apostam quanto pior melhor, devem estar felizes, pois estão conseguindo intimidar o adversário político ou não, transformados em inimigo. Eles agem num sistema onde a ação coletiva protege os participantes do grupo num ‘anonimato’ hipócrita onde ninguém será responsabilizado pelos crimes que cometer. Foi o que aconteceu no Rio de Janeiro onde houve prisões, porém logo depois os manifestantes predadores foram soltos sob a alegação de que não havia provas... Tudo o que foi registrado pelas câmeras de TV e o rastro de depredação deixado não são provas?

Leilão do petróleo do pré-sal – Campo de Libra – Um leilão com um (01) participante! Só no Brasil! Um verdadeiro teatro eleitoreiro para enganar a população que pouco ou nada entende do assunto. Não vou dar uma aula de geologia nem de recursos petrolíferos. O campo em questão está a sete mil metros (7 km) abaixo do nível do mar. Para chegar lá é preciso mais do que discurso. Vencer água, camada de rochas, camada de sal até chegar aos depósitos cujas estimativas são milionárias. Mas, a própria Presidenta, em sua fala, admitiu que para chegar lá é precisar construir super plataformas que suportem as super máquinas especializadas que também precisarão ser fabricadas o que demanda mão de obra e investimentos milionários. Mais toda a infra-estrutura para transportar, armazenar e industrializar o petróleo que deve estar lá em baixo. E, daqui a alguns anos os royalties do petróleo do pré-sal que foram aprovados pelo Congresso para a Educação e a Saúde estarão chegando ao seu destino. O recado foi dado. Cada cidadão continue a levar sua vidinha. Ou seja, não dá para contar com o ovo antes de a galinha botar, já diz a sabedoria popular. Quem viver verá.

Invasão do Instituto Royal (São Roque – SP)- o que aconteceu lá vai além dos limites da irresponsabilidade. Roubo dos animais, depredação do laboratório, destruição das pesquisas...  Não estamos aqui para aplaudir nem para punir. Estamos fazendo uma chamada à razão. É inadmissível que em pleno século XXI as pessoas se comportem de forma retrógrada. Se não aprovam o que está sendo feito, façam algo melhor para substituir no mais curto espaço de tempo o que consideram errado. Sem hipocrisias, nem chantagem emocional façam um exame de consciência e, admitam quantos benefícios já usufruíram por conta do que a ciência já contribuiu para melhorar sua qualidade de vida, não só nesse caso.
Essa ocorrência me fez lembrar uma expressão usada por colegas de São Roque em tempos de Faculdade para chamar à realidade as pessoas sem noção: – “‘Boco moco”. Estão fazendo por merecer o epíteto. Inteligência é para ser usada de forma positiva onde o bom senso prevaleça.


Acompanhar os noticiários em geral não é fácil. Felizmente há um jornalismo sério e independente que diz as coisas como tem que ser ditas, sem meias palavras. 

terça-feira, 22 de outubro de 2013

SANEAGO - DICAS DE COMO EVITAR DESPERDÍCIO DE ÁGUA


Tenho em mãos um folheto da SANEAGO contendo dicas simples do uso do precioso liquido de forma racional e correta. 
Abaixo as dicas para economizar água no dia a dia:

Escovar os dentes e fazer a barba -  deixar a torneira da pia fechada; reabrir apenas para enxaguar a boca, ou após a barba.
Consumo racional com torneira fechada ao escovar os dentes: cerca de 0,5 litros (casa) ou cerca de um litro (apartamento); ao fazer a barba: consumo de cerca de 2 litros.
Descarga de vaso sanitário –  não use o vaso como lixeira ou cinzeiro e não acione a descarga à toa com gastos desnecessários de água. Mantenha a válvula regulada e evite vazamentos.
Consumo racional: - Válvula regulada por seis segundos: até dez litros; se a válvula estiver desregulada serão até 30 litros.
No Chuveiro – evite banhos demorados; desligar o chuveiro enquanto passa o xampu e o sabonete; um banho de 15 minutos em chuveiro elétrico consome 144 litros de água.
Consumo racional: em cinco minutos, registro aberto – consome de 15 litros (casa) e 48 litros (apartamento).
No Jardim – para molhar as plantas use um regador ou mangueira com esguicho tipo revólver.
Consumo racional – 90 litros. Se usar torneira aberta com mangueira por 10 minutos gasta 186 litros.
Lavando roupa – utilizar a máquina de lavar quando estiver com sua capacidade total. No tanque deixe as roupas de molho e use a mesma água para  esfregar e ensaboar. Utilize a água no tanque para lavar o quintal e área de serviço.
Na Cozinha – limpe a louça e molhe. Ensaboe tudo e só depois abra a torneira para enxaguá-los. Com a torneira aberta durante 15 minutos, o consumo será de 243 litros de água. O consumo racional será de apenas 46 litros !
Na calçada e no quintal – jamais use água para varrer a calçada e o quintal. Use a vassoura. Lavar a calçada ou o quintal com a torneira aberta por 15 minutos, o consumo será de 280 litros de água. Use a vassoura  e evite o consumo de água para limpar a calçada e quintal.
Lavando o Carro – Ao usar a mangueira o gasto será de 215 litros de água em 30 minutos. Utilizando o balde o gasto será de apenas 40 litros.
Piscina – se a piscina for de tamanho médio exposta ao sol e à ação do vento, o gasto será de aproximadamente de 126 litros/dia por evaporação. Com uma cobertura a perda será reduzida em 90%.
Em resumo: o uso com desperdício pode levar a um consumo de até 1.368 litros numa casa ou 577 litros em um apartamento. O consumo racional reduz para 216,11 litros numa casa e 108 litros por apartamento.

O meio ambiente é responsabilidade de todos. A água é o recurso mais precioso que a Terra fornece à humanidade. Evite o desperdício e faça uso de forma consciente para que sua qualidade não seja prejudicada.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

BRASILEIROS BUSCAM OPORTUNIDADES EM OUTROS PAÍSES. AS MUDANÇAS DEVEM COMEÇAR PELO COMPORTAMENTO PRÓPRIO.

Dados oficiais dizem haver mais de dois milhões de brasileiros espalhados pelo mundo. Uma pequena minoria partiu para compor quadros de trabalho junto a embaixadas e consulados do Brasil no exterior; a grande maioria foi em busca de uma oportunidade de trabalho, para estudar e para aperfeiçoar seus conhecimentos em alguma área. É o normal no ser humano querer aprender, conhecer, participar de outras realidades e procurar novas possibilidades de melhorar sua vida.
Com o objetivo claro de conquistar uma melhor condição financeira há muitos outros que não constam desses dados oficiais. Aventureiros uns e curiosos outros; todos sonhando com uma oportunidade de melhorar de vida.
- Quantos são? – Milhões! Eles se aventuraram numa espécie de exílio voluntário com a perspectiva de regressar um dia. Países alvo desses migrantes: - Estados Unidos, Canadá, Austrália, países da União Européia
(Portugal, Grécia, Alemanha, Suíça, Reino Unido, Espanha, etc.), Japão, China, e até na América do Sul (Chile, Paraguai), América Central (Cuba), países africanos, etc.
Esse fenômeno ocorre pelo mundo todo. Especialmente entre os jovens dos países da EU, que buscam na vizinhança a oportunidade que não tem em seus países. Até o Brasil está na lista de países procurados por jovens europeus que vêem no país do samba, do carnaval e do futebol uma oportunidade – Mas a burocracia brasileira já provocou a desilusão de muitos deles. Espanhóis que procuram a Argentina, por exemplo, se dão conta de que tudo parece igual, mas é diferente. E, assim vão descobrindo o mundo, tentando se adaptar a um novo estilo de vida, uma nova forma de falar, exigências de trabalho que na maioria dos casos não realizariam em seu país de origem.
De um modo geral não é fácil a migração para outro país. Em geral os países que recebem estrangeiros querem pessoal qualificado (técnicos, arquitetos, doutores, pessoas portadoras de títulos acadêmicos, professores, etc.); que estejam com toda a documentação em dia junto à imigração e no caso da China, por exemplo, ‘ter uma boa posição econômica, experiência comprovada na atividade a que se dispõe trabalhar’.  Na Rússia, se a pessoa tiver uma gorda conta bancária será recebido de braços abertos. Em Cuba não é diferente. Ouvi dizer que Havana é um dos destinos mais procurados por turistas americanos nos últimos tempos, bem recebidos graças a seus ricos dólares... 
Tudo vale para sair da rotina.
Quem não muda cria limo como pedras no fundo de rios. A água passa e eles ficam para trás. Isso não significa que todos tenham que por o pé na estrada. As mudanças também podem e devem ser em sua postura frente à vida e aos desafios do dia a dia. Não é saindo dando porrada  que vamos melhorar o mundo. Ele só vai mudar para melhor se nós nos tornarmos melhores. Essa é a melhor mudança.
Quem se julga um anarquista e com direito de mudar o mundo – e não a si próprio -, ele está na contramão da civilização. O movimento anarquista não pressupõe o caos. Nele, ao contrário, a ordem deve ser preservada para o ideal libertário evoluir de forma orgânica.
Todos almejam mudanças. O mundo passa por mudanças tecnológicas muito rápidas. Os jovens em geral são os primeiros a se adaptar a essas mudanças; porém há insatisfação generalizada entre os jovens. Na verdade eles são ‘desocupados’. E quem não tem o que fazer, inventa para justificar sua existência. Mandar mensagens nas redes sociais não realiza ninguém. Torcer pelo time de futebol virou rotina que é quebrada com as arruaças e a violência nos estádios.
Os protestos, quebra-quebras, depredações, e toda sorte de violência praticada por jovens mascarados em ‘sua guerra contra o capitalismo selvagem’ – não passa de um slogan tolo, criado no século passado, e que já perdeu o sentido faz tempo. Ninguém vive sem capital. Nem os comunistas, nem os nativos e muito menos esses teleguiados.

Os tempos são outros. Meu avô diria: - “Um bom cabo de enxada de sol a sol resolveria essa manha...” Trabalho não mata ninguém. Mãos e mente ocupada não deixa lugar para comportamentos irracionais como o que estamos assistindo. Mudar é preciso. Mas é preciso saber o que quer fazer, e não o que quer destruir.

domingo, 20 de outubro de 2013

ENTRE O BUROCRÁTICO HORÁRIO DE VERÃO E A ‘SIESTA’, FICO COM A ‘SIESTA'

Estamos em plena Primavera que teve início no dia 22/09 e vai até 20 de Dezembro, cá no hemisfério sul. O Verão, obedecendo ao ritmo da natureza, só começa no dia 21 de Dezembro e se estende até 20 de março de 2014. Porém, oficialmente, já teve início mais um burocrático horário de Verão!

Certamente já ouviram falar em casa de verão, palácio de verão, moda-verão, alimentação para o verão, férias de verão, hora da ‘siesta’ no verão... São hábitos saudáveis, praticados pelo mundo afora e que respeitam o relógio biológico das pessoas. Tudo isso existe, inclusive no Brasil, independente da burocrática medida adotada pelo governo com a desculpa de economizar energia.

O Brasil está em sua maior parte territorial entre o Trópico de Capricórnio que corta o estado de São Paulo e MS, e a Linha do Equador, ao norte. Portanto é pequena a influencia das diferenças de duração dos dias neste período do ano. Como o horário se estende apena a uma parte do país, cria problemas de diferenças de horários entre as outras unidades da federação, além da diferença já existente por conta dos  fusos horários que dominam no Brasil.

A justificativa de que é para economizar energia é mera desculpa para encobrir falhas nos sistema de fornecimento; até parece que adiantar uma hora nos relógios atrapalhando a vida de milhões de pessoas vai impedir os apagões. As políticas erradas de incentivo a um maior consumo de produtos da chamada linha branca, por exemplo, é um incentivo a maior consumo de energia. Equivale ao que o governo fez em relação ao incentivo para compra de carros – e vejam só como estão as cidades congestionadas de veículos particulares. A culpa é de quem?

E, ainda, ontem, um ‘entendido’ em adaptações humanas sugeriu; - “Nada de tirar uma soneca no meio do dia...”

De minha parte vou continuar tirando minha soneca após o almoço. É a tradicional ‘siesta’, hábito trazido pelos familiares que imigraram para o Brasil há cem anos. Nos países latinos, nossos vizinhos seguem esse hábito. Os dias longos de verão, muito mais longos que os nossos, tem um período de trabalho até a hora do almoço. Aí tudo fecha, as pessoas voltam para suas casas, almoçam, e fazem a ‘siesta’; em geral lá pelas 4 horas da tarde recomeça nova jornada que vai até as 21 horas aproximadamente, voltando para casa com o dia claro.


Horário de Verão! Uns gostam. Outros não. Dizem que o povo se acostuma a tudo.  Até parece que o horário de verão seja mais um estudo psico-social do comportamento humano para testar os limites do cidadão comum.

sábado, 19 de outubro de 2013

AGENDA E PAUTA DE HOJE: - ECLIPSES – DA LUA, DO BOM SENSO

O eclipse da Lua de ontem chamou minha atenção. Mais um espetáculo para apreciar e fugir da mesmice dos noticiários: greves, passeatas, violência, política com mais do mesmo... Como não sou jornalista, nem tenho ‘patrão’ e minha pauta é livre, hoje o assunto será sobre os astros do céu, porque os da terra não querem ser biografados. Ia falar da polemica das biografias não autorizadas. Desisti. Afinal, eles fizeram de tudo para aparecer e se tornar famosos... E, agora não querem ser lembrados, ignoremo-los e falemos dos astros de verdade  que brilham nos céus roubando todas as cenas menores dos terráqueos.
No momento – Eclipse da Lua. Eclipse é o obscurecimento total ou parcial de um astro pela interposição de sombras que se projetam sobre ele. Para nós, na Terra, os eclipses do Sol e da Lua são frequentes e em geral muito pitorescos: parciais, totais, anulares... O show que eles proporcionam dura de alguns minutos a horas dependendo da posição dos astros em conjunção durante seu movimento orbital.
Ontem à noite houve mais um desses espetáculos. A Lua passou pela sombra projetada da Terra no espaço, porém esta sombra, mais tênue, não a obscureceu totalmente. Vi parte do eclipse. Porém, nuvens se interpuseram e até parecia que ‘silfos’ estavam brincando de soprar nuvens escuras sobre a Lua formando manchas fantasmagóricas que se diluíam rapidamente.
O primeiro eclipse total do Sol que tive oportunidade de observar ocorreu em tempos de escola – 4º. Ano primário. Ocorreu na parte da manhã. A nossa professora, na véspera deu uma aula explicando o fenômeno e recomendando que levássemos o negativo de um filme fotográfico ou um pedaço de vidro transparente. Na hora em que ia começar o eclipse todos os alunos foram para o páteo da escola. Com a fumaça de uma vela os vidros que os alunos levaram foram obscurecidos para que pudéssemos olhar com segurança para o Sol e acompanhar o avanço da sombra se projetando sobre ele. Assim que começou a escurecer, os alunos foram dispensados para voltar para casa enquanto ainda havia claridade. Eu morava do outro lado da cidade em uma chácara. Eu e meus dois irmãos voltamos apressados para casa. Quando chegamos já era noite e as estrelas brilhavam no céu. Foi divertido ver os animais se dirigindo para o curral e as galinhas empoleiradas; eram apenas nove horas da manhã. Quando começou a clarear, os dois galos – um Carijó e outro Rhodia começaram a cantar; depois, enquanto desciam pela escada que dava acesso ao  poleiro, olhavam para o alto com desconfiança. Permaneceram no terreiro por algum tempo cocoricando e ciscando até se decidirem a ir para o bananal onde normalmente passavam o dia.
Houve outros eclipses do Sol visíveis no Brasil, porém aquele foi único.
O céu sempre me chamou a atenção. Ver ‘el camino de Santiago’ – (Via Láctea) – como se dizia entre os espanhóis, era uma distração nas noites luminosas do interior paulista. Vi muitos meteoros cruzando os céus e cometas com suas lindas caudas. Vi também algumas conjunções de planetas e estrelas mudando de posição, ou melhor, fazendo a curva de volta do seu longo caminhar no espaço; parecia que naquele movimento rápido elas iam causar algum cataclismo. Mas tudo continuava em ordem lá no maior tapete mágico do mundo.
Em tempo de Faculdade além das aulas de Astronomia e Astrofísica também tive aulas práticas de astronomia. Mas faltou oportunidade e condições para aprofundar os conhecimentos. Nessa época vi o primeiro satélite artificial colocado em órbita – o Sputnik. E, naturalmente também vi os tais objetos voadores não identificados, não só à noite como em pleno dia, como já falei em outras postagens.
Bem, o céu é o limite para os sonhos da humanidade, que se torna tão pequena em sua mesquinhez.
Um bom sábado para todos, apesar das condutas nada humanas de muitos terráqueos embarcados no planeta Terra.

Amanhã será um novo dia. E, como dizia o poeta: ‘Tudo vale a pena quando a alma não é pequena’. 

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

CULTIVAR FLORES É PRECISO

CULTIVAR FLORES É PRECISO

Rosa flor, ou botão. Símbolo do amor;

Espinhos a pedir, Paz no coração.

Uma rosa em flor: - rubra rosa, rosa rubra.

Não importa a cor. É uma flor!

 

UMA FLOR É UMA FLOR.

Uma rosa é uma rosa   - em botão a desabrochar,

ou aberta em toda sua majestosa pujança colorida.

Flores são enigmas.

 São propostas da natureza humana que deseja ver mistério em tudo o que não entende.

- O que se esconde por trás de uma pétala de flor? - quererá saber o inquiridor.

- Como será a flor em botão encerrada? – perguntará  o curioso.

Não importa. O que importa é o ato de cultivar flores, pois...

Flores – rosas – vermelhas ou brancas são mensageiras de paz e amor, como diz o poeta José Marti:

 

LA ROSA BLANCA ( José Marti)

“Cultivo uma rosa blanca;

Em julio como em enero,

Para el amigo sincero

Que me dá su mano franca.

 

Y para el cruel que me arranca

El corazón con que vivo,

Cardo ni ortiga cultivo;

Cultivo la rosa blanca”.

 

CULTIVEMOS FLORES.  DESERTOS, NÃO…

 

 

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

ABANDONAR O ESPÍRITO DE DEPENDÊNCIA & O PODER DA ESPERANÇA CONFIANTE.

Quando estamos com o espírito de dependência, nossa força vital não se manifesta de forma suficiente e nossa saúde tende a se tornar deficiente também. Porém, aquele que age sem o espírito de dependência encontra o caminho que o leva à fonte de saúde, aquela que flui da Infinita Fonte da Vida sempre a se renovar.
O que pedimos em oração já está providenciado. Há pessoas que em sua dependência psicológica se apegam, por exemplo, à oração como uma forma de melhorar sua saúde. No entanto, ficam ansiosas demais a espera que sua oração seja atendida. Acabam perdendo o entusiasmo e a convicção – a fé – e, ou a esperança de ver seu desejo atendido. Murmuram: ‘Minha oração não foi ouvida’. Ignoram que todo pedido sincero já é a ‘semente da realização’.
Ao duvidar, uma pessoa está agindo como o plantador que, depois de colocar a semente na terra, fica cavando e retirando a semente do solo para ver se já está germinando. Ou como quem escreve uma carta e depois fica lendo e relendo sem postá-la no correio para que chegue ao destino. Quando plantamos uma semente, ela precisa de um tempo para germinar e frutificar. O mesmo ocorre quando escrevemos uma carta: - ela precisa ser postada e leva um tempo para que o destinatário a receba e dê sua resposta. Assim é com os pedidos feitos em oração.
Forçar a natureza não produz resultados positivos e duradouros. Tudo tem seu tempo. Enquanto aguardamos a resposta, é prosseguir na vida normal dando tempo ao tempo para que se cumpram as etapas necessárias à sua realização.
O que se pede em uma oração sincera já está providenciado no mundo das provisões infinitas. Para conseguir a realização do que desejamos é imprescindível ter convicção. Jesus Cristo ensina que Deus sabe o que necessitamos antes de o pedirmos a Ele, e que, quando oramos e desejamos algo, devemos ter uma fé sincera na sua realização.
Nem sempre o que pedimos é o melhor para nós. Nem sempre estamos suficientemente preparados para receber aquilo que desejamos. Uma ‘negativa’ aos nossos desejos, muitas vezes pode ser um aviso lá do alto a dizer: ‘- Tem algo melhor para você’... 
Saúde, riquezas nem sempre são sinônimo de felicidade. Aliás, os reveses na vida de uma pessoa agem como incentivadores para abrir horizontes, fazer descobertas, mudar conceitos e julgamentos do que é ou não necessário para a sua realização e crescimento espiritual.
A vida absorve somente o que é necessário para sua evolução. Na hora certa tudo se acerta! A esperança confiante permite ver esses momentos com os olhos do coração e entender as mensagens que chegam como resposta aos pedidos feitos em oração.

- ‘Aquele que guarda sua boca guarda sua alma, porém o que é inconsiderado no falar sentirá males’. (Provérbios – 13, 3).

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

PASSEATAS, GREVES, MANIFESTAÇÕES – TUDO FAZ PARTE DE UM JOGO - O ‘JOGO DE EMPATE

- ‘Desempata! Desocupa! Não fique empatando! – eram expressões usadas para criticar e chamar a atenção de uma pessoa que ficava enrolando e não se decidia. Ao ouvir Marina Silva falar de ‘jogo de empate’ achei melhor procurar saber o que realmente ela estava dizendo.
O ‘Jogo de empate’ na política é apenas mais uma forma de brigar por um lugar ao sol, mesmo que isso signifique prejuízos para a Nação. É o que está sendo proposto pela ‘filosofia’ da Rede Sustentabilidade da Marina Silva, ao se referir ao método utilizado por Chico Mendes na sua luta contra madeireiros na Amazônia. No meu ponto de vista são situações completamente diferentes. Lá havia a defesa de recursos naturais explorados de forma predatória. Já, na política, os interesses são individualistas. A política atual está dominada por interesses de corporações que brigam entre si. Querem que o mundo pense redondo se suas cabeças forem redondas, e quadrado se suas idéias forem quadradas. A democrática alternância do poder é uma utopia. Para eles, se resume em dividir para continuar imperando. No fundo todos são amigos e companheiros.
A bandeira da ética está a meio pau. O dinheiro fala mais alto.
Sorte do Brasil é o seu gigantismo e ser dono de uma economia diversificada, que, bem ou mal, ainda sobrevive graças a cidadãos que trabalham, produzem e geram riquezas. As novas gerações que só conhecem as realidades pelo ‘ouvir dizer’ através de informações pré-fabricadas são as principais vitimas do apagão ético na política.
Fica no ar a idéia de que Marina Silva, ao balanço de “Rede” da imaginação, propõe criar uma espécie de ‘arca de Noé’ política ecologicamente correta. A proposta do jogo do empate, no entanto não passa de um jogo de retranca. Perguntem ao Felipão se essa é a melhor prática esportiva.  Aqui não se trata de um mero jogo de futebol. É a vida de uma Nação!
Posso estar enganada, porém o pior de tudo é que esse comportamento do ‘jogo de empate’ chegou às manifestações de rua, onde protestos pacíficos e legítimos estão sofrendo a interferência de grupos de manifestantes cujo objetivo é apenas desconstruir os movimentos. Eles vão ocupando os espaços literalmente. As pessoas ainda não estão se dando conta da extensão dessa atitude. A idéia de se opor, impedindo o avanço do outro, está tomando as proporções das ondas que se propagam ao lançar uma pedra na água. Ela vai muito além do local onde a pedra caiu. As invasões de propriedades produtivas, ocupações de usinas em construção, de Reitorias nas Universidades, de prédios públicos, etc., caracterizam esse tipo de comportamento de impedir – de promover ‘um empate’... Quem ganha? Quem perde? Todos.
A bandeira da ética está a meio pau. O dinheiro fala mais alto.
- “Três grupos de pessoas gastam o dinheiro das outras pessoas: crianças, ladrões e políticos. Todos os três precisam de supervisão.”

- “Auri sacra fames” (Virgílio) – referente à avidez do homem pelas riquezas, no caso o ouro que o poder proporciona.  (Virgílio: Publius Vergilius Mara – 70 -19 a.C). Poeta da antiga Roma, célebre pelo seu poema épico Eneida que conta como o herói troiano Enéias fundou Roma depois da guerra com os gregos. Escreveu poemas pastoris e líricos conhecidos por Écloga e Geórgias.
Écloga – obra que retrata cenas da vida rural, geralmente de maneira idealizada.


Mais de dois mil anos depois, tudo continua na mesma. O idealismo por um mundo melhor, ficções e projetos se somando na literatura do faz de conta de que pode ser assim. E tudo vai continuar ‘empatado’.

terça-feira, 15 de outubro de 2013

MEUS PROFESSORES E MINHAS PROFESSORAS - RECORDAR É VIVER


- “Recordar é viver. Hoje acordei pensando em você...” – diz uma canção. 
Hoje, dia do Professor, eu acordei lembrado de vocês, meus professores.
Foram muitos. São nomes e rostos a desfilar em minha mente. A começar pela minha primeira professora, no Grupo Escolar Ataliba Leonel, a dona Meire Hernandez. Depois, no segundo ano foi a professora Ruth Sodré, a dona Raquel Dardes no terceiro ano primário, e a dona Julieta Viana Simões no quarto ano. 
Depois fui estudar no ginásio. E muitas outras lembranças dos professores e professoras do Ginásio - Escola Estadual Cel. Nhonhô Braga, criado e construído em 1935, que foi considerado um dos melhores do Estado de São Paulo; contava  com curso ginasial, Clássico, Científico e Escola Normal. O quadro de professores era de alta qualidade, exigentes que sabiam motivar os alunos.
O currículo escolar era amplo. 
Destaque para os professores titulares das diferentes disciplinas:
Latim – prof. Antonio Hailer; (ensinou a usar o dicionário para melhorar o vocabulário);
Português: professora Maria Aparecida Fonseca e Prof. Hélio Magdalena ( o orador oficial das festas);
Matemática: prof. Pedro Rochel e profa. Maria José Porto (exigente mas justa nas avaliações);
Geografia: prof. Ernesto Domingues (ilustrava as aulas com fatos);
História: prof. Willian Saenz (brindava os bons alunos com livros);
Desenho (Artístico e Geométrico): Maria Aparecida Cavalheiro ( dona Chiquinha) – a artista que estimulava a criatividade e no final do ano fazia uma exposição com os melhores trabalhos;
Música e Canto Orfeônico: Maria Abujabra e Prof. Ruth Barreiros – indispensáveis na organização das festas cívicas e pela solenidades escolares de formatura;
Francês: Professora Célia e Prof. Raul;
Inglês: dona Elsie e o prof. Pinheiros – (ensinava o inglês britânico) ;
Trabalhos Manuais e Economia Doméstica: dona Conceição P. Martini; Educação Física: dona Arlete Gatti e os professores Gastão e Jesus Ubirajara (masc.). Eram responsáveis pelos desfiles cívicos, promoviam competições, exibição de esportes e ginástica olímpica, etc.  
Ciências – dona Juny e o prof. Leonel L. Mendes Gonçalves.
Depois na Escola Normal – prof. Elinah Simões, Dona Dalila Costa, prof. Moisés Sodré, etc.
Esses são alguns dos nomes; impossível lembrar-se de todos, pois o quadro de professores passou por várias alterações e houve, naturalmente, professores substitutos. Muitos chegavam receosos, pois a cidade de Piraju, na época, era conhecida como ‘terra do General Ataliba Leonel’, advogado e político que enfrentou os períodos de crises políticas de 1924, 1940, 1932.
O diretor, Professor Adolfo Basile, se impunha pelo imprevisto. Quando menos se esperava, lá estava ele na sala de aula para verificar pessoalmente se os alunos cumpriam com seus deveres de casa; sempre havia os mais relapsos... Pessoalmente ele conduzia a chamada oral sobre o assunto registrado na cartela do professor e atribuía nota.
Muitas são as lembranças desse tempo.
Depois foi a Faculdade. Outra leva de professores que marcaram pela sua garra e determinação com aulas tradicionais em sala de aula, aulas de campo e elaboração de monografias a partir das observações e pesquisas feitas. Professor Antonio Rocha Penteado (Geografia do Brasil), Aziz Nacib A’Saber (Geologia e Geomorfologia), Luiz Mello(Geografia Regional), Flávio Pereira (Astronomia e Astrofísica), dona Conceição (Geog. Humana), dona Francesca (Antropologia e Etnografia); Monsenhor Misiara (Cultura Filosófica e Religiosa), John Sokoup (Cartografia), Pe.  João (Sociologia), Pe. Godinho...
Como não parei de estudar, muitos outros nomes poderiam ser acrescentados à lista. Uma aluna e muitos professores.
- Como esquecer quem fez parte de nossa vida por tanto tempo? – A cada um, meu sentimento de gratidão pelos ensinamentos, dedicação e exemplos que transmitiram.

Hoje é dia dos Professores. Parabéns a todos.  

domingo, 13 de outubro de 2013

MEDICINA - O DIAGNÓSTICO PELO PULSO DO PACIENTE - PULSOLOGIA CHINESA

O Diagnóstico pelo pulso - segundo a medicina chinesa, ayurvédica  -  permite ao médico ‘ler’ o organismo humano através das batidas observadas no pulso – ao total são 72 pontos que podem ser avaliados pelo simples toque no ponto certo. A medicina chinesa não segue as normas ocidentais nem no diagnóstico nem no tipo de tratamentos.
Fiquei curiosa em saber que tipo de diagnostico os médicos estrangeiros que já chegaram e estão assumindo seus postos são capazes de fazer. Sabemos que um tratamento depende de um diagnóstico correto. Cada povo tem seus usos e costumes, alguns desses ensinamentos e práticas são milenares e se perdem no tempo. Servem para avaliar o estado geral de saúde dos indivíduos. Daí minha curiosidade.
Colaborei desenhando as ilustrações do livro - “Pulsologia Chinesa” (Mário Sanchez – 1993 – WWW.máriosanchez.com) – onde se ensina como obter um diagnóstico preciso dispensando todos os métodos complicados e caros da moderna medicina. A principio é uma complicação de meridianos e pontos espalhados pelo corpo desde a ponta dos dedos até o alto da cabeça. Porém, se olharmos com cuidado, tudo é muito simples. Massagistas, acupunturistas e médicos naturistas conhecem e usam boa parte desses ensinamentos.
O autor, após anos de treinamento e prática do método, garante que tudo é muito simples e até um leigo curioso pode aprender. O texto é baseado no trabalho do Dr. Friedrich J. Spaeth e outros estudiosos do assunto, e contém também as conclusões do autor. No Prefácio ele diz: “Após 18 anos usando o toque de pulso pelo método ocidental (3 anos), depois 5 anos pelo chinês, até ter confiança nele como diagnóstico, e finalmente, anexando dados ayurvédicos e tibetanos acabamos chegando a um ‘pulso de cérebro’ e outro de ‘supra-real’ e do ‘estado hormonal’. E prossegue assegurando que com o método é possível contestar e contrariar certos resultados de tomografias, exames radiológicos, de sangue, biópsias, se o problema é no rim direito ou esquerdo, se é vírus, bactéria, se as defesas estão baixas ou altas... Bem o assunto é para quem tiver vontade de aprender e praticar uma medicina mais simples, segura e menos invasiva, através da ‘leitura’ dos pulsos, etc... Tudo isso está explicado no livro citado (Pulsologia Chinesa – um estudo sobre os Pulsos Radiais para Diagnóstico, Prevenção, Comparação e Tratamento).
Seria interessante se os médicos também aprendessem esse método simples de diagnóstico. Exige treinamento e paciência. Mas funciona.
Pelo que vimos, nestes dias de ‘namoro’ com os novos médicos chegando aos recantos esquecidos do gigante chamado Brasil, a velha e boa parteira continuará a atender, bem como a raizeira e seus inúmeros conhecimentos da rica flora medicinal também continuará em seu posto de trabalho.

E, se for feito um diagnóstico pelo pulsar da velha política, esta está mais doente do que nossos caboclos curtidos pelo sol tropical.